Monday, September 18, 2006

A invasão continua (discretamente mas em força)

Depois de a Carris ter condenado à morte os módulos pré-comprados - aos quais pessoas mais conhecedoras tratavam pelo verdadeiro nome de bilhetes de coroa única - fui obrigado a ceder nos meus princípios e encetar esforços para obter um passe mensal. Ou, como agora se diz, um Cartão Sete Colinas. O processo até estava a correr relativamente bem mas acabei de sofrer um choque ao procurar um photomaton para registar a imagem do meu envelhecido rosto. O único que localizei, já dentro da estação de Metropolitano de Arroios, surpreendeu-me ao procurar estabelecer comunicação através de instruções gravadas em língua castelhana. Sendo este um idioma que me recuso a aprender - persisto no meu plano de aprender catalão para responder nessa língua às demandas geográficas dos turistas "nuestros hermanos"- limitei-me a cruzar os dedos e esperar pelo "flash". Dois minutos depois tinha nas mãos quatro retratos que nem ficaram muito mal, levando-me por instantes a ponderar a hipótese de os restauradores se terem precipitado na manhã em que defenestraram o traidor Miguel de Vasconcelos. Mas não. Continuo a acreditar que fizeram bem e que não é normal que uma empresa pública como o Metropolitano de Lisboa permita a presença nas suas instalações de um equipamento que utiliza uma língua estrangeira para explicar o seu funcionamento aos utilizadores.

1 Comments:

Blogger Laranjada Ovarense said...

BUC Bilhete Unico de Coroa

12:37 AM  

Post a Comment

<< Home

d