Wednesday, December 27, 2006

Vinde a elas as criancinhas

Aquilo que mais me causa espanto e pavor na história da portuguesa de 12 anos que foi mãe há três meses e cujas dúvidas quanto à identidade do co-responsável terão sido resolvidas pelo facto de um suspeito assumir a menina enquanto o outro prefere distanciar-se? O facto de a rapariga de 12 anos - identificada na reportagem da TVI mas a quem, sendo menor (e com aspecto de criança), prefiro tratar por T. – ser neta de uma avó que teve o primeiro filho aos 14 e bisneta de uma mulher a quem o mesmo sucedeu aos 16. O ciclo da desmiolada miséria acelera de geração para geração, levando-me a temer que a primogénita de T. lhe faça uma surpresa ao cumprir o décimo aniversário. Pode isto resolver-se com a liberalização da interrupção voluntária da gravidez até às dez semanas? Duvido muito. Penso que nem sequer se resolveria se o limite avançasse até aos 18 anos.

1 Comments:

Blogger ISA said...

excelente post, ainda q sb uma situação dramática, eu diria.

3:27 PM  

Post a Comment

<< Home

d